Entrou Abraão pela famosa “Porta de Abraão”?

Em Gênesis 14 aparece um curioso texto que relata a união de quatro reis que roubam os bens e mantimentos da população de Sodoma e Gomorra, e também sequestram a Ló, sobrinho de Abraão.

14 Ouvindo, pois, Abraão que o seu irmão estava preso, armou os seus criados, nascidos em sua casa, trezentos e dezoito, e os perseguiu até Dã.

15 E dividiu-se contra eles de noite, ele e os seus criados, e os feriu, e os perseguiu até Hobá, que fica à esquerda de Damasco.

16 E tornou a trazer todos os seus bens, e tornou a trazer também a Ló, seu irmão, e os seus bens, e também as mulheres, e o povo.

 

 

Se olharmos no mapa, podemos ver que a distância entre a região de Sodoma e Gomorra é bastante significativa, quase 300 kms., o que representa vários dias de caminhada ou nas costas de um animal.

Esta história levanta alguns problemas; por exemplo, o fato de que esses reis do sul vão para o norte para uma área tão distante de sua área de influência, ou que Dã, filho de Jacó (neto de Abraão), seja mencionado nesta história, sendo que ele nem tinha nascido. 

 No entanto, neste post vamos nos focar na questão de saber se Abraão entrou pela chamada “Porta de Abraão”, cujos vestígios foram encontrados no sítio arqueológico de Tel Dan.

A “Porta de Abraão” é o nome de um portão de origem cananéia que servia de entrada para a cidade de Laís, que mais tarde seria conquistada pela tribo de Dã (ver Juízes 18:29). Esta porta, descoberta nos anos 80 do século passado, foi construída com tijolos de barro e datada no ano -1750, fato que a torna a porta de entrada mais antiga do mundo.

Agora, se a datação de alguns arqueólogos que marcam a época de Abraão entre os séculos -XX a -XVII estiver correta, então teoricamente poderíamos concluir que, de fato, o Patriarca Abraão passou por essa mesma porta; cujas ruínas são vistas até hoje em Tel Dan, o que confere um certo grau de historicidade ao relato de Gênesis 14.

Nesse contexto, é importante esclarecer que os pesquisadores debatem sobre:

  1. Se Abraão foi uma figura histórica real ou se é apenas uma figura literária. Tal debate é baseado no fato de que não há nenhuma evidência extra-bíblica para a existência deste personagem, apesar do fato de que Abraão é considerado o pai do monoteísmo (até o conceito de “religiões abraâmicas” é usado para definir as três religiões monoteístas).
  2. Se foi uma figura histórica, em que época viveu? Sobre este assunto também se debate, e há quem coloque esta época no século -XX, e outros como o renomado arqueólogo Benjamin Mazar, entre os séculos -XVIII / -XVII; enquanto os posteriores o situam entre os séculos -XVI / -XV.

O curioso é que a “Porta de Abraão” foi realmente atravessado por Abraham, não sabemos se pelo Patriarca, mas com certeza, pelo arqueólogo que o descobriu, cujo nome, por coincidência é também Abraham (Abraão), de sobrenome Biran, um renomado arqueólogo israelense que, além deste portão, descobriu a famosa “Estela de Tel Dan”.

É por isso que a “Porta de Abraão” tem um duplo significado. Talvez nunca saibamos se o Patriarca Abraão passou por aquela porta, mas o que sabemos com certeza é que o arqueólogo Abraham (Abraão) Biran, passou por lá cerca de 3.500 a 3.800 anos depois que o Patriarca (talvez) a atravessou.

 

CONHEÇA NOSSA AGENDA DE CURSOS

 

Ariel_Horovitz_Diretor_Moriah_Center

M.A. Ariel Horovitz

Fundador e diretor do Moriah International Center.

É formado em Sociologia e História do Povo Judeu pela Universidade Hebraica de Jerusalém, mestre em Gestão e Liderança pela Universidade de Bar Llan, de Israel.

É especializado na área de Liderança na Bíblia e em outros temas relacionados com a história do povo desde os tempos Bíblicos até a atualidade do moderno Estado de Israel.

Oferece conferências e seminários em diversas instituições acadêmicas de Israel, Estados Unidos, México, Brasil, Angola e outros países.

Comentários

Deixe uma resposta